• Share to Facebook
    • Twitter
    • Email
    • Print

November 7, 2008

Vitória importante para os animais de produção na Califórnia

Humane Society International

  • Um dia feliz para os animais de produção. istockphoto

Na terça-feira, 4 de novembro, os eleitores da Califórnia aprovaram um referendo histórico para impedir o confinamento desumano de animais em fazendas de criação para abate—por uma margem esmagadora de 63,3 a 36,7%.

O que a Proposta 2 faz

A Proposta 2 põe fim ao confinamento de suínos, vitelas e galinhas poedeiras em celas e gaiolas tão pequenas que os animais mal conseguem se mexer. A Proposta 2 exige que as fazendas de criação ofereçam espaço suficiente para os animais ficarem de pé, virar-se e alongar os membros. Entra em vigor em janeiro de 2015, ou seja, as fazendas de criação têm seis anos para adotar sistemas alternativos de alojamento dos animais.

Relevância

Apoiando de maneira tão categórica esse referendo, os eleitores da Califórnia adotaram uma posição de decência e compaixão. Disseram que os maus tratos sistêmicos contra os de animais nas fazendas de criação não podem continuar e todos os animais merecem um tratamento humano, inclusive os animais criados para o abate.

A Proposta 2 é amplamente considerada o mais ambicioso referendo em prol dos animais já realizado nos Estados Unidos. Sua aprovação melhorará a vida de 20 milhões de animais que vivem nessas fazendas.

Momento decisivo

A vitória histórica dos animais das fazendas de criação está contagiando outros estados americanos. Colorado e Arizona estão eliminando gradualmente o uso de celas de gestação para porcos e vitelas, e os estados da Flórida e do Oregon têm medidas semelhantes de interromper o uso das celas de gestação.

Em toda a América do Norte, os produtores estão mudando a maneira como alojam e cuidam dos animais em reação a esse forte movimento. A Smithfield Foods, o maior produtor mundial de suínos, e a Maple Leaf, o maior produtor canadense, está, aos poucos, deixando de utilizar as celas de gestação. A Associação Americana de Vitelos votou para que toda a indústria americana de vitelas passe a não mais utilizar celas para esses animais.

Ao adotar essas medidas, os Estados Unidos estão indo na mesma direção que a Europa. Toda a União Européia está desativando paulatinamente as obsoletas gaiolas em bateria até 2012 e as celas de gestação até 2013, e já proibiu as celas para vitelas. Vários países europeus já implementaram proteções para os animais das fazendas de criação que vão além das medidas da União Européia.

Um apoio cada vez maior

A Humane Society of the United States foi quem mais apoiou essa medida. Além disso, a Proposta 2 atraiu o apoio de uma ampla coligação de organizações e líderes, incluindo a California Veterinary Medical Association (Associação de Médicos Veterinários da Califórnia), os United Farm Workers (Trabalhadores Rurais Unidos), a State Humane Association of California (Associação Estadual Humanitária da Califórnia), o Center for Food Safety (Centro de Segurança de Alimentos) e a Consumer Federation of America (a Federação dos Consumidores Americanos).

A campanha pela aprovação da Proposta 2 recebeu doações de 25.000 colaboradores individuais em todo o país. Milhares de voluntários trabalharam para recolher assinaturas, distribuir material de campanha e se reuniram para votar na Proposta 2.

Os opositores da Proposta 2, que são as empresas de agronegócios em todo o país, gastaram $ 9 milhões em uma tentativa frustrada de derrotar o referendo.

Uma vitória sem precedentes

A Califórnia tem a maior população e a maior economia dos Estados Unidos da América. E a agricultura é seu principal mercado.

Espera-se que a aprovação esmagadora da Proposta 2 nesse estado encoraje uma nova era na agricultura animal. A Humane Society of the United States continuará defendendo os animais que vivem em fazendas de criação dos Estados Unidos, enquanto a Humane Society International trabalha para melhorar a vida dos animais que vivem nesse tipo de fazendas em todos os países do mundo, incluindo Brasil, China, Costa Rica e Índia.