• Share to Facebook
    • Twitter
    • Email
    • Print

May 15, 2012

Produção animal precisa estar na pauta da Rio+20, diz HSI

Humane Society International

    O setor pecuário causa poluição significativa. istock

Uma das mais importantes conferências ambientais em muitos anos será sediada neste mês de junho no Rio de Janeiro. A Conferência das Nações Unidas Sobre Desenvolvimento Sustentável, ou Rio+20, tem o desafio de enfrentar uma série de questões importantes, como a segurança alimentar, a agricultura sustentável e a disponibilidade de água. Entretanto, a Rio+20 será incompleta se ignorar a grande contribuição da produção animal para estas proeminentes preocupações ambientais e sociais.

A forma como os animais são criados afeta a saúde humana, o meio ambiente, a segurança alimentar e o bem-estar dos próprios animais. Em todo o mundo, aproximadamente 67 bilhões de animais terrestres são criados e abatidos  para consumo a cada ano e muitos deles sofrem imensamente em sistemas de produção industriais, as chamadas "granjas-fábrica". O setor pecuário é reconhecido pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) como um dos "dois ou três maiores responsáveis pelos mais sérios problemas ambientais, em todas as escalas, da local à global".

Declare seu apoio à Segunda Sem Carne.

Apesar de solicitações feitas à ONU por inúmeras organizações ambientais e de bem-estar animal destacando os significativos impactos ambientais da produção animal, o tema ainda não está na agenda da Rio+20. "Considerando o foco da Rio+20 em uma 'economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável', temos que levar em conta os múltiplos impactos ambientais negativos da pecuária. As discussões na conferência deste ano serão seriamente prejudicadas se não houver discussões ou resultados significantes a respeito de soluções humanitárias para os impactos ambientais deste setor", disse Guilherme Carvalho, gerente de campanhas da Humane Society International (HSI) no Brasil. "O bem-estar de bilhões de animais, bem como a saúde do planeta, está em jogo".

Na Rio+20, a HSI estará promovendo a campanha Segunda Sem Carne, um crescente movimento mundial que propõe que os consumidores tirem a carne do prato uma vez por semana para ajudar o meio ambiente e reduzir o sofrimento dos animais.

Você sabia que...

  • De acordo com a FAO, o setor de produção animal é responsável por quase um quinto de todas as emissões de gases do efeito estufa causadas por atividades humanas.
  • A expansão de pastos para a pecuária é um fator chave do desmatamento, principalmente na América Latina. Cerca de 70% das áreas desmatadas da Amazônia são usadas como pastos, e plantações cultivadas para produção de ração animal cobrem uma grande parte dos 30% restantes.
  • Em todo o mundo, nós usamos mais terras para criar e alimentar animais de produção do que para qualquer outro propósito. Mais de 97% do farelo de soja e mais de 60% da cevada e do milho produzidos globalmente são usados para alimentar esses animais.
  • A produção animal não apenas prejudica o meio ambiente, mas também resulta no sofrimento de animais. Dezenas de milhões de animais no Brasil passam praticamente suas vidas inteiras confinados em pequenas gaiolas ou celas nas granjas industriais.

Leia mais

Explore o Guia HSI para uma Alimentação Sem Carne, com deliciosas receitas vegetarianas

Declare seu apoio à Segunda Sem Carne

  • Sign Up
  • Take Action
  • Declare seu apoio à campanha Segunda Sem Carne! Assinar o Compromisso