• Share to Facebook
    • Twitter
    • Email
    • Print

April 17, 2012

Restaurantes Brado e Mestiço promovem tratamento mais humanitário dos animais de produção

Humane Society International

A Humane Society International (HSI) parabenizou a postura tomada pelos restaurantes paulistanos Brado e Mestiço contra o cruel confinamento intensivo de galinhas poedeiras em gaiolas em bateria ao trocar seus fornecimentos para ovos produzidos sem gaiolas. Ambos restaurantes se uniram a um crescente número de estabelecimentos no Brasil e ao redor do mundo que estão beneficiando a vida de animais criados para consumo ao adotarem políticas “livres de gaiolas”.

As gaiolas em bateria estão entre as práticas mais desumanas e abusivas da indústria pecuária. Cada galinha tem um espaço menor do que uma folha de papel ofício para passar toda sua vida. As aves são impedidas de realizar a maioria de seus comportamentos mais naturais, como andar, empoleirar, tomar banho de areia e botar ovos em ninhos.

“Ao adotar esta mudança para ovos de galinhas criadas soltas, o Brado e o Mestiço assumem uma importante postura contra o cruel confinamento intensivo de galinhas em gaiolas em bateria”, afirmou Guilherme Carvalho, gerente de campanhas da HSI no Brasil. “A HSI aplaude a atitude do Brado e do Mestiço e esperamos trabalhar com outros restaurantes e empresas em São Paulo, para que adotem posturas similares”.

A decisão do Brado e do Mestiço vão ao encontro das suas preocupações acerca do bem-estar animal e saúde humana.

 “A marca de ovos caipiras que nós utilizamos está livre de quaisquer resíduos químicos, que podem ser encontrados em ovos convencionais”, afirmou Pedro Vita, chef do Brado. “Nós também acreditamos que a energia dos animais é transferida para a comida. Se o animal é criado em um ambiente extremamente negativo, aquela energia de alguma forma será transferida aos consumidores. É por isso que usamos ovos de galinhas criadas soltas”.

 “Nós promovemos o bem-estar animal, que também é algo que nossos clientes apoiam”, disse Vivian Bausas, nutricionista do Mestiço. “Temos que levar em consideração não apenas a qualidade do alimento, mas também de onde ele vem e como foram produzidos. Usando ovos caipiras, especificamente orgânicos, nós também direcionamos nossas preocupações em relação à saúde de nossos clientes”, completou Vivian.

Fatos

  • Mais de 90% dos ovos no Brasil são produzidos por aves que passam praticamente suas vidas inteiras confinadas em pequenas gaiolas em bateria. Mais de 70 milhões de galinhas vivem nestas condições no país
  • Embora a "produção sem gaiolas" não seja obrigatoriamente sinônimo de "produção sem crueldade", as aves criadas fora de gaiolas têm mais espaço para se mover e realizar comportamentos naturais do que galinhas presas. Seja no sistema caipira, orgânico ou em sistemas menos abertos, as aves criadas sem gaiolas podem andar, esticar suas asas e botar seus ovos em ninhos — comportamentos que são negados às galinhas confinadas em gaiolas em bateria.

-30-

Siga a HSI no Twitter.

A Humane Society International (HSI) e suas parceiras juntas formam uma das maiores organizações de proteção animal do mundo, sendo apoiada por 11,5 milhões de pessoas. A HSI luta pela proteção de todos os animais por meio de de orientação de políticas, educação e programas de assistência. HSI: proteção e respeito a todos os animais. www.hsi.org

  • Sign Up

    Coloque aqui seu nome e e-mail e fique por dentro das notícias!

  • Take Action
  • Assine nossa petição por uma lei que diminua o sofrimento dos animais criados para consumo Assine nossa petição

Media Contact List2