• Share to Facebook
    • Twitter
    • Email
    • Print
  • Alt text hereDownload PDF

March 11, 2013

HSI pede ao governo brasileiro proibição de testes em animais para cosméticos

Enquete revela que dois terços da população apoia a mudança na legislação

Humane Society International

  • Enquete revela que brasileiros querem seus produtos de beleza livres de crueldade. iStock

SÃO PAULO — Na data de hoje a União Europeia (UE) implementa a proibição da venda de cosméticos recém-testados em animais. A Humane Society International (HSI), uma das maiores organizações de proteção animal do mundo, usa a data simbólica para pedir que o governo brasileiro siga o exemplo e adote medidas para acabar com testes em animais para cosméticos em todo o país. O pedido é reforçado com uma recente pesquisa realizada a pedido da organização que revela que a grande maioria dos brasileiros se importa bastante com a questão. Os resultados mostram que dois terços da população apoia a proibição nacional do uso de animais para testes de produtos de beleza.

Testes em animais para cosméticos são proibidos na UE desde 2009 e agora a venda de cosméticos contendo ingredientes recém-testados em animais em outros países também fica proibida no bloco. Restrições similares foram promulgadas em Israel e estão em discussão na Índia. A HSI lançou uma campanha global chamada “Liberte-se da Crueldade” para garantir que nenhum coelho, porquinho-da-índia ou qualquer outro animal seja submetido a testes angustiantes e dolorosos por causa de um novo produto de beleza. A organização também promove essa campanha no Brasil.

"Os testes em animais para cosméticos são desnecessários e desumanos", disse Helder Constantino, gerente da campanha “Liberte-se da Crueldade” no Brasil. "A proibição dos testes acabará com o sofrimento de inúmeros animais de laboratório que são submetidos a doses altíssimas de produtos químicos que são aplicados nos olhos ou na pele desses animais. Se esses testes forem proibidos, os consumidores poderão escolher e comprar cosméticos estando seguros de que não estarão apoiando esse tipo de crueldade."

Com a nova legislação da UE em vigor, a proibição dos testes em animais no Brasil também removerá uma barreira comercial ao permitir que empresas brasileiras vendam seus cosméticos na Europa. A HSI pede ao governo brasileiro que reconheça que a proibição de testes em animais será benéfica para todos e que tome medidas o mais rápido possível.

A pesquisa de opinião encomendada pela HSI revela que:

  • Uma vasta maioria – 66% – dos brasileiros apoia uma possível proibição nacional dos testes em animais para cosméticos e seus ingredientes no Brasil, que seja compatível com as proibições já em vigor na União Europeia e Israel.
  • A maioria dos brasileiros – 61% – concorda com a seguinte afirmação: “testes provocam dor e sofrimento aos animais e que isto não vale a pena para testar a segurança dos cosméticos, especialmente quando milhares de ingredientes seguros já existem e estão disponíveis no mercado.”
  • Apenas 26% da população acredita que “as empresas devem ser livres para desenvolver e testar novos ingredientes de cosméticos em animais, para promover a criação de novos produtos e entrar em mercados que a experimentação animal é necessária, como a China.”
  • A maioria dos brasileiros – 66%– acredita que “as empresas de cosméticos que dizem estar comprometidas com a sustentabilidade, proteção do meio ambiente e uso de ingredientes naturais ou orgânicos também devam garantir que eles não testam seus produtos em animais”.

O mercado brasileiro de cosméticos é o que cresce mais rapidamente em todo o mundo. Diretrizes nacionais brasileiras ainda recomendam uma série de testes em animais para a avaliação de segurança de novos produtos e ingredientes. No entanto, a HSI e seus parceiros estão confiantes de que o Brasil vai avançar com a utilização de métodos alternativos por meio da Rede Nacional de Métodos Alternativos (RENAMA). O Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico está investindo R$ 1,1 milhões na RENAMA para que as alternativas a testes em animais aprovadas internacionalmente estejam disponíveis para as empresas brasileiras.

Para comemorar o fato de que a UE se tornará o maior mercado de cosméticos livre de crueldade do mundo, a HSI lançará a semana “Liberte-se da Crueldade” no dia 11 de março deste ano. A semana será promovida globalmente e terá foco na conscientização dos consumidores. No Brasil a inciativa também pede que a indústria de cosméticos nacional abandone a experimentação animal de uma vez por todas. Os consumidores serão convidados a mostrar seu apoio assinando uma declaração online disponível em hsi.org/libertersedacrueldade e também serão convidados a assistir um vídeo de animação provocante chamado “Bright Eyes” – Olhos Brilhantes. O vídeo, que foi cedido pela organização australiana “Choose Cruelty Free” e será lançado no YouTube, mostrará os testes em animais a partir da perspectiva de um coelho chamado Warren.

Para participar da semana “Liberte-se da Crueldade” e ajudar a acabar com o sofrimento dos animais que são usados para testes de cosméticos no Brasil, e no resto do mundo, assine a declaração aqui.

Contato para a imprensa: Helder Constantino, +55 (21) 8342-4163, hconstantino@hsi.org

Notas:

1. A proibição da UE tornará ilegal, a partir de 11 de Março de 2013, a venda de produtos cosméticos que foram testados, ou tiveram seus ingredientes testados, em animais após esta data. Portanto, a medida proíbe a venda de novos cosméticos testados em animais e obriga as empresas a utilizar ingredientes já aprovados em seus produtos. Cosméticos e ingredientes livres de crueldade são aqueles que não foram sujeitos a testes em animais depois de uma data especificada, porque eles já são considerados seguros.

2. Todos os indicadores da pesquisa mencionada nesse comunicado, salvo indicação em contrário, são provenientes da IBOPE Inteligência. O tamanho total da amostra foi de 2.002 entrevistas. O trabalho de campo foi realizado de 15 a18 de fevereiro de 2013. A pesquisa foi realizada por meio de entrevistas pessoais conduzidas pelo IBOPE. A amostra é representativa da população brasileira maior de 16 anos de idade. A margem de erro dos resultados é de 2 pontos percentuais.

A pesquisa na íntegra pode ser acessada aqui.

A Humane Society International e suas organizações parceiras constituem juntas uma das maiores e mais importantes organizações de proteção animal do mundo. Por mais de 20 anos, a HSI vem lutando para a proteção de todos os animais por meio de trabalhos de conscientização, educação e programas práticos. HSI: Celebrando todos os animais e confrontando a crueldade em todo o mundo: hsi.org/libertesedacrueldade.

  • Sign Up
  • Take Action
  • Take the global pledge to Be Cruelty-Free Sign Now

Media Contact List2