• Share to Facebook
    • Twitter
    • Email
    • Print
  • Alt text hereDownload PDF

March 17, 2014

Cientistas conceituados recomendam que o Brasil proíba testes de cosméticos em animais

Humane Society International

  • Liberte-se da Crueldade. Viorel Simaj/istock

SÃO PAULO—Em uma carta aberta publicada hoje, 17 pesquisadores de renome, brasileiros e estrangeiros, se manifestaram a favor da proibição de testes de cosméticos em animais em todo o país. Os pesquisadores que apoiam a proibição são professores, cientistas da área biomédica e toxicologistas de universidades, autarquias federais e institutos de pesquisa.     

Em setembro de 2013, a HSI apresentou uma proposta para a proibição de testes em animais para cosméticos ao Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA), orgão federal vinculado ao Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação. Espera-se que o CONCEA vote a proposta da HSI na próxima reunião marcada para os dias 19 e 20 de Março de 2014.

Helder Constantino, Coordenador da campanha Liberte-se da Crueldade no Brasil da HSI, argumentou que: “Cientistas brasileiros e estrangeiros estão questionando cada vez mais se os testes realizados em animais realmente podem prever efeitos em humanos, e estes mesmos cientistas apoiam a proibição dos testes em animais para cosméticos. Nós esperamos que os membros do CONCEA levem em consideração o posicionamento dos cientistas e façam uma votação que traga ao Brasil benefícios éticos e científicos através da proibição desses testes ultrapassados.”

A carta dos cientistas afirma que: “No mundo inteiro, cresce a frustração com os métodos de avaliação de segurança baseados em testes com animais. Muitas dessas abordagens nunca foram atualizadas desde os anos 30, são caras e demoradas, informam muito pouco sobre o modo de ação das substâncias no corpo humano e frequentemente não conseguem prever reações humanas em condições reais. Esses problemas representam desafios importantes para as autoridades reguladoras responsáveis pela avaliação da segurança ao consumidor de substâncias químicas e outros produtos ... o CONCEA tem a oportunidade de viabilizar uma participação brasileira maior no desenvolvimento da nova toxicologia do século XXI, ao proibir os testes com cosméticos em animais. Essa proibição sem dúvida alguma incentivará o interesse e investimentos em métodos alternativos no Brasil, como foi o caso na União Europeia, e será um sinal claro que a hora para progredir para além de testes com animais, já chegou.”

  • Testar cosméticos em animais é proibido em toda a União Europeia, Israel e Índia. Em janeiro, o estado de São Paulo introduziu uma proibição total de tais testes. São Paulo abriga mais de 700 das 2.300 empresas de cosméticos do país, mais do que qualquer outro estado brasileiro.
  • Centenas de empresas livres de crueldade produzem cosméticos sem testes em animais. Eles utilizam ingredientes com histórico de segurança já comprovados, combinados com testes sem animais, o que fornece resultados mais rápidos, mais baratos e mais relevantes para os seres humanos.

Liberte-se da Crueldade faz parte da maior campanha global para acabar com os testes em animais para cosméticos, apoiada pela ARCA Brasil, ProAnima e pelo Fórum Nacional de Proteção e Defesa dos Animais. A campanha Liberte-se da Crueldade está presente na Austrália, Canadá, China, Índia, Japão, Coréia do Sul, Nova Zelândia, Rússia e Taiwan, e é liderada pela HSUS nos Estados Unidos.

Contato:

Helder Constantino, +55 (21) 9 8342 4163, hconstantino@hsi.org

  • Sign Up
  • Take Action
  • Acabe com os testes em animais para cosméticos no Brasil agora! Submit

Media Contact List2