• Share to Facebook
    • Twitter
    • Email
    • Print
  • Alt text hereDownload PDF

March 17, 2014

Cientistas conceituados recomendam que o Brasil proíba testes de cosméticos em animais

Humane Society International

  • Liberte-se da Crueldade. Viorel Simaj/istock

SÃO PAULO—Em uma carta aberta publicada hoje, 17 cientistas de renome, brasileiros e estrangeiros, se manifestaram a favor da proibição de testes de cosméticos em animais em todo o país. Os cientistas que apoiam a proibição são professores, cientistas da área biomédica e toxicologistas de universidades, autarquias federais e institutos de pesquisa.     

Em setembro do ano passado, a HSI apresentou uma proposta para a proibição de testes em animais para cosméticos ao Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA), orgão federal vinculado ao Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação. Espera-se que o CONCEA vote a proposta da HSI na próxima reunião marcada para os dias 19 e 20 de Março de 2014.

Helder Constantino, Coordenador da campanha Liberte-se da Crueldade no Brasil da HSI, argumentou que: “Cientistas brasileiros e estrangeiros estão questionando cada vez mais se os testes realizados em animais realmente podem prever efeitos em humanos, e estes mesmos cientistas apoiam a proibição dos testes em animais para cosméticos. Nós esperamos que os membros do CONCEA levem em consideração o posicionamento dos cientistas e façam uma votação que traga ao Brasil benefícios éticos e científicos através da proibição desses testes ultrapassados.”

A carta dos cientistas afirma que: “No mundo inteiro, cresce a frustração com os métodos de avaliação de segurança baseados em testes com animais. Muitas dessas abordagens nunca foram atualizadas desde os anos 30, são caras e demoradas, informam muito pouco sobre o modo de ação das substâncias no corpo humano e frequentemente não conseguem prever reações humanas em condições reais. Esses problemas representam desafios importantes para as autoridades reguladoras responsáveis pela avaliação da segurança ao consumidor de substâncias químicas e outros produtos... o CONCEA tem a oportunidade de viabilizar uma participação brasileira maior no desenvolvimento da nova toxicologia do século XXI, ao proibir os testes com cosméticos em animais. Essa proibição sem dúvida alguma incentivará o interesse e investimentos em métodos alternativos no Brasil, como foi o caso na União Europeia, e será um sinal claro que a hora para progredir para além de testes com animais, já chegou.”

  • Testar cosméticos em animais é proibido em toda a União Europeia, Israel e Índia. Em Janeiro, o Estado de São Paulo introduziu uma proibição total de tais testes. O Estado de São Paulo abriga mais de 700 das 2.300 empresas de cosméticos do país, mais do que qualquer outro estado brasileiro.
  • Centenas de empresas livres de crueldade produzem cosméticos sem testes em animais. Eles utilizam ingredientes com histórico de segurança já comprovados, combinados com testes sem animais, o que fornece resultados mais rápidos, mais baratos e mais relevantes para humanos.

Liberte-se da Crueldade faz parte da maior campanha global para acabar com os testes em animais para cosméticos, apoiada pela ARCA Brasil, ProAnima e pelo Fórum Nacional de Proteção e Defesa dos Animais. A campanha Liberte-se da Crueldade está presente na Austrália, Canadá, China, Índia, Japão, Coréia do Sul, Nova Zelândia, Rússia, Taiwan e é liderada pela HSUS nos Estados Unidos.

FIM

Contato:

Helder Constantino, +55 (21) 9 8342 4163, hconstantino@hsi.org

  • Sign Up
  • Take Action
  • Acabe com os testes em animais para cosméticos no Brasil agora! Submit

Media Contact List2