• Share to Facebook
    • Twitter
    • Email
    • Print

September 3, 2014

Unilever: Descarte cruel de pintinhos na indústria de ovos deve acabar

Terceira maior empresa global de bens de consumo trabalhará com a indústria produtora de ovos para eliminar práticas de descarte desumanas

Humane Society International

  • iStockphoto

A Unilever, empresa multinacional que fabrica as maioneses Hellmann’s e Arisco no Brasil, anunciou que trabalhará para que o descarte de pintinhos machos na indústria de ovos – por meio de maceração ou sufocamento – não mais aconteça. O anúncio, que trata de um sério problema relacionado ao bem-estar animal frequentemente descrito como inevitável, foi comemorado pela Humane Society International (HSI), uma das maiores ONGs globais de proteção animal. Essa é a segunda vez que a empresa recebe elogios da organização não governamental, que também já parabenizou a política de fornecimento global da Unilever de somente usar ovos produzidos em sistemas sem gaiolas a partir de 2020.

Elissa Lane, vice-diretora de animais de produção da HSI, disse: “O comprometimento da Unilever em acabar com a trituração em larga escala de pintinhos machos vivos e considerar a possibilidade de usar ingredientes de origem vegetal para substituir o uso de ovos é um indicador de como inovações impulsionadas por preocupações acerca do bem-estar animal estão ajudando na emergência de debates cruciais na indústria alimentícia global. Nós elogiamos a Unilever por tomar providências para lidar com esse problema”.

A maceração, prática largamente usada, mas pouco comentada, é o abate em larga escala de pintinhos machos na avicultura de postura comercial, já que eles não produzem ovos. Somente no Brasil, milhares desses animais são descartados todos os anos. No primeiro dia de vida, os pintinhos são jogados vivos – sem nenhum método de insensibilização – em máquinas trituradoras, ou, em alguns países, simplesmente jogados em sacos plásticos que são fechados para que eles morram por sufocamento. A Unilever trabalhará para fazer com que a tecnologia que determina o sexo dos animais antes do nascimento – em fase inicial embrionária, quando eles ainda estão dentro dos ovos – torne-se viável em termos econômicos e científicos. O sucesso no desenvolvimento e aplicação dessa tecnologia eliminaria o sofrimento de bilhões de pintinhos todos os anos, antes e durante o processo de maceração. O comprometimento da Unilever também afirma que a empresa irá considerar o uso de ingredientes de origem vegetal para substituir o uso de ovos em alguns de seus produtos.

Contato de mídia:
Carolina Galvani, cgalvani@hsi.org, +55 11 98208 9645

  • Sign Up
  • Take Action
  • Live in Brazil? Help hens by pledging to avoid eggs from battery cages Sign the Pledge

Media Contact List2