• Share to Facebook
    • Twitter
    • Email
    • Print

December 21, 2016

AccorHotels eleva padrões de bem-estar para galinhas poedeiras

Líder em operação hoteleira adota política global livre de gaiolas

Humane Society International

  • HSI

A AccorHotels anunciou uma parceria com a Humane Society International (HSI) na implementação de uma política free-range – termo utilizado em inglês para se referir ao sistema caipira de produção de ovos – em sua cadeia global de fornecimento. A AccorHotels eliminará os ovos de gaiolas da sua cadeia de fornecimento global de ovos líquidos e in natura na Europa até 2020, e em mercados remanescentes, a transição será feita dentro de 8 anos, incluindo no Brasil.

A empresa opera aproximadamente 4.000 hotéis em 95 países, incluindo as marcas Raffles, Fairmont, Sofitel, onefinestay, Pullman, Swissôtel, Novotel, Mercure, Mama Shelter, Adagio e Ibis. No Brasil, o grupo opera aproximadamente 250 hotéis.

Elissa Lane, Vice-Diretora do Departamento Global de Proteção aos Animais de Produção, disse: “Parabenizamos a AccorHotels por se tornar a primeira rede hoteleira a se comprometer a usar somente ovos caipiras na sua cadeia global de fornecimento, e por elevar o nível de bem-estar animal no setor hoteleiro. Estamos orgulhosos com a parceria com a AccorHotels, assegurando uma cadeia global de fornecimento de ovos mais humanitária".

O CEO da Group Food & Beverage, Amir Nahai, disse: "Nosso Estatuto de Alimentos Saudáveis e Sustentáveis mostra como estamos determinados a melhorar a qualidade das refeições que servimos aos nossos clientes. Estamos nos concentrando na saúde dos hóspedes, tanto quanto em fornecer acordos justos aos produtores, protegendo o meio ambiente e protegendo o bem-estar dos animais. Estamos nos unindo à Humane Society International por todas essas razões".

No Brasil, as galinhas poedeiras são muitas vezes confinadas por toda a vida em gaiolas de arame – conhecidas como gaiolas em bateria –, em espaços tão pequenos que não podem nem sequer esticar completamente suas asas. O uso de gaiolas em bateria para galinhas poedeiras já foi proibido ou está em processo de eliminação em toda a União Europeia, seis estados norte-americanos, Nova Zelândia e Butão. A maioria dos estados da Índia, terceiro maior produtor mundial de ovos, declarou que o uso de gaiolas em bateria viola a legislação federal de bem-estar animal, e o país está discutindo uma proibição nacional. Galinhas criadas em sistema free-range não são criadas em gaiolas, e devem ter acesso a áreas externas. Se a produção de ovos caipiras é proibida por lei ou regulamentação em alguma localidade em que a empresa atua, a Accor implementará uma política livre de gaiolas (sem acesso externo) na sua cadeia de fornecimento.

Um número crescente de empresas estabeleceu prazos para a eliminação de ovos em gaiolas de suas cadeias de suprimentos globais, incluindo Sodexo, Compass Group (GRSA no Brasil), Unilever, Grupo Alsea e Grupo Bimbo. Outros líderes do setor alimentício, incluindo BFFC, McDonald’s e Burger King, entre outros, já se comprometeram a usar exclusivamente ovos livres de gaiolas em suas cadeias de fornecimento na América Latina.

Contato de mídia: Fernanda Vieira, fvieira@hsi.org, 11 9 8905 3848

  • Sign Up
  • Take Action
  • Live in Brazil? Help hens by pledging to avoid eggs from battery cages Sign the Pledge

Media Contact List2